Leite e insulina

2014-11-10


Título: Dissociação das respostas glicémicas e insulinémicas do leite inteiro e magro

Autores: Garrett Hoyt, Matthew S. Hickey and Loren Cordain

Fonte: British Journal of Nutrition (2005)

A descoberta deste estudo foi de que o leite magro tem uma resposta insulínica desproporcionalmente alta relativamente à sua baixa carga glicémica em indivíduos saudáveis. Já havia sido demonstrado que o leite inteiro era um potente impulsionador da produção de insulina em diabéticos tipo 2 e em indivíduos saudáveis. Inicialmente este efeito foi atribuído a um componente lipídico, mas este estudo refutou essa hipótese e colocou uma nova: a fração de proteína. Certos aminoácidos (como a leucina, por exemplo) são insulinogénicos. Contudo o perfil de aminoácidos da carne bovina é semelhante ao do leite bovino e a carne tem um score insulinémico de 51, enquanto que os laticínios variam entre 89 e 115.

A lactose isolada tem um score de 50.

Estes dados sugerem um efeito aditivo da lactose e aminoácidos insulinogénicos, como causa do grande score insulinémico. Existem ainda outros potenciais promotores da insulina no leite, como péptidos específicos ou até hormonas endógenas bovinas.

Quando quase todos os lacticínios frescos têm demonstrado ter um potente efeito insulinotropico, coloca-se a questão sobre serem ou não saudáveis tendo em conta que a insulinémia é um modulador da insulino-resistência. Este estudo confirma a observação de O ̈stman et al. (2001) de que o consumo de leite induz uma hipoglicemia reativa ao mesmo nível do consumo de hidratos de carbono de alta carga glicémica, cujo consumo tem sido implicado na insulino-resistência e diabetes. Apesar destes potenciais efeitos adversos, um estudo epidemiológico recente demonstrou que uma associação entre o consumo de lacticínios e menor risco de diabetes tipo 2 (Pereira et al. 2002).

Os autores sugerem precaução na recomendação de alto consumo de leite em adultos, particularmente os que se encontrem em risco de doenças por insulino-resistência.

Nota:

Para além de outros aspectos relacionados com o consumo de leite e derivados em adultos, a exacerbação insulínica pode, por si só, justificar a moderação ou suspensão destes alimentos na dieta de alguns adultos, com o objectivo de prevenir o desenvolvimento de complicações metabólicas.